domingo, 4 de outubro de 2009

MÃE SOFRE!


Recebi um e-mail esses dias que me chamou a atenção.
Falava sobre água quente em produtos de plástico.
Segundo o artigo, certo tipo de plástico pode liberar uma substancia tóxica quando em contato com liquidos aquecidos.
GENTE QUASE TIVE UM TRÉCO!

Deixo água quente na mamadeira da Bia todo dia!!!!
Ai meu Deus. Mãe sofre demais.
Segue o artigo. COMENTEM AMIGAS, PLEASE!

Recente proibição do governo canadense para a comercialização de mamadeiras e chupetas produzidas com plástico que contenha o Bisfenol A (BPA), levanta discussão sobre a contaminação dos alimentos por plásticos quando em contato com líquidos aquecidos ou lavados com detergentes.
O plástico se tornou indispensável em nosso dia-a-dia e ninguém duvida da sua utilidade e necessidade, mas alguns cuidados são necessários na sua utilização, principalmente, ao lidar com alimentos. Estudos têm demonstrado que as substâncias químicas presentes em materiais plásticos podem migrar para os alimentos e afetar o organismo. Bisfenol A, ftalatos, alquifenóis e outras substâncias presentes em produtos como mamadeiras, garrafas PET, copos plásticos usados para água e cafezinho, seladores dentários e filmes PVC, são apontados na literatura como disruptores endócrinos e podem causar o desenvolvimento de diversas doenças.

Câncer e Plásticos - Segundo a engenheira química e professora da UFMS, Sônia Corina Hess, estudos científicos recentes mostram que as "tendências do adoecimento de seres humanos têm semelhança com os efeitos adversos observados em animais de laboratório expostos a baixas doses de Bisfenol A, como o aumento da incidência de câncer de próstata e mama; anormalidades uro-genitais em bebês do sexo masculino; puberdade precoce em meninas; desordens metabólicas incluindo diabetes resistente à insulina (tipo 2); problemas neuro-sociais, como hiperatividade associada a déficit de atenção e autismo; além da diminuição da qualidade do sêmen dos homens". Durante o Congresso Europeu de Obesidade de 2008, o Bisfenol A também foi apontado como um dos químicos causadores da obesidade desenvolvida em ratos durante pesquisa.
Apesar do limite de segurança aceito para ingestão do Bisfenol A, alguns pediatras consideram esse limite perigoso, pois não foram feitos estudos sobre seu impacto em humanos, somente em animais.
Como se Prevenir?
Segundo os pesquisadores o plástico só é tóxico se for utilizado de maneira inadequada. Segundo eles, nunca devemos colocar alimentos quentes em recipientes plásticos ou em outros materiais plásticos como os filmes PVC. Pedro Germano, professor da Faculdade de Saúde Pública da USP afirma que devemos utilizar nos fornos microondas apenas plásticos próprios para esse fim. O mesmo cuidado temos que ter com recipientes plásticos rompidos por desgaste ou por muitas lavagens com produtos químicos. "A deteriorização da película que cobre esses utensílios facilita a migração de substâncias como o Bisfenol A para os alimentos", diz. Ele também alerta que não devemos utilizar sacolas plásticas para armazenar produtos na geladeira, pois essas sacolas são feitas de plástico reciclado, que contêm substâncias tóxicas que podem contaminar os alimentos.
Outra medida é identificar a presença do Bisfenol A nas embalagens através de um número presente em todas elas. Esse número geralmente está gravado no fundo dos produtos e identifica o tipo de plástico utilizado em sua composição e sua indicação, ou não, de reciclagem. Os plásticos de números 3 e 7 são os que trazem maior risco de liberarem Bisfenol A.

"Diante as evidências, conclui-se que uma medida que deveria ser adotada visando à proteção da saúde pública, seria incluir, na legislação, a obrigatoriedade da avaliação das propriedades hormonais e carcinogênicas de produtos industriais comercializados no Brasil.", afirma a professora Sônia Hess.

3 comentários:

disse...

Complicado né ...

Anônimo disse...

Já ocorre no Brasil, bem como em outros países, uma avaliação dos níveis de migração da substância nos plásticos para que todos os produtos que vão ao mercado possam oferecer segurança. Mas para as mães mais desconfiadas, existem opções de materiais, inclusive plásticos, que não contém o bisfenol A. Aliás, o único plástico que contém esta substância em sua composição é o policarbonato. Outros materiais, como o polipropileno, não usa esta substância na produção; portanto, não contém nem muito menos libera tal substância. É só olhar na embalagem das mamadeiras qual o plástico... É uma pena que informações mais detalhadas (e práticas) não sejam devidamente divulgadas na mídia.

Christiane disse...

dri eu já tinha lido esse artigo, na época a isa era pequenininha tb e fiquei encucada .... mas depois pensei que não posso ficar assim ... temos que relaxar um pouco, senão enlouquecemos querendo proteger nossos filhotes ... eu tb sempre deixei a mamadeira da isa com água quente, e nunca aconteceu nada, graças a Deus .... essa fase de desespero com os cuidados com o tempo vai passar, mas sempre estamos atentas ....
beijos com muito amor
chris e isabella